Taboão Digital – Notícias sobre Taboão da Serra e Região Sudoeste de São Paulo

Educação

Escolas Municipais de Taboão precisam de reformas

Com cerca de um mês de trabalho, o secretário de Educação, Ciência e Tecnologia de Taboão da Serra, João Medeiros, recebeu a reportagem do jornal O Repórter Regional e da Rádio Taboão para uma conversa sobre a situação geral das escolas do município. Ele apontou alguns problemas na estrutura de algumas escolas, esclareceu que outras precisam de limpeza externa e garantiu que os programas educacionais serão estudados caso a caso para que os “que forem bons” continuem.

O Repórter Regional – Secretário, gostaria inicialmente que o senhor falasse um pouco de sua trajetória na Educação aqui de Taboão da Serra…

João Medeiros – Eu sou formado em História pela USP, depois eu fiz concurso para professor de História e passei e vim para Taboão da Serra para dar aulas na escola Aracy de Abreu Pestana, no Jardim Record. Isso foi na década de 80. Depois eu fiz pós-graduação em História Econômica também na USP e passei em outro concurso para diretor de escola, tendo sido convidado para um curso de gestão que realizei na França, isso foi em 1990, já na escola Antônio Inácio Maciel, no Jardim Maria Rosa, onde tenho vínculo até hoje. Após isso, realizei outro curso em gestão de escola na seccional da Unesco, em Buenos Aires, e fui dar aula na Faculdade Taboão da Serra (FTS), continuo lecionando nos cursos de pós-graduação.

O Repórter Regional – E como o senhor chegou à prefeitura?

João Medeiros – Quando o Dr. Fernando assumiu em 1997 eu fui assistente de secretário, o professor Antônio Carlos Fenólio na época. Como ele foi eleito vereador eu assumi como secretário da Educação na ocasião, permanecendo nos últimos quatro anos do mandato do Dr. Fernando e estou feliz com o retorno aqui. Portanto conheço bastante a cidade e a região.

O Repórter Regional – Quais foram as suas primeiras ações na secretaria ao assumir em 2013?

João Medeiros – Fizemos um diagnóstico geral da infraestrutura de todas as escolas, quando chegamos no dia 2 de janeiro já tínhamos um trabalho que havia sido efetuado nos meses de novembro e dezembro, então fizemos uma planilha com o diagnóstico de toda a questão física e também dos materiais essenciais para começar o ano letivo. Então nos dias 2 e 3 de janeiro, os dez supervisores de ensino que compõem a equipe desta secretaria foram às escolas e trouxeram esse diagnóstico que gerou um diagnóstico consolidado. Os resultados já foram, em parte, publicados pela imprensa local.

Secretário de Educação de Taboão da Serra, professor João Medeiros (Foto: O Repórter Regional)Secretário de Educação de Taboão da Serra, professor João Medeiros (Foto: O Repórter Regional)

O Repórter Regional – E qual é esse resultado?

João Medeiros – A situação das escolas é muito complicada. Há falta de material, falta de manutenção, as escolas ficaram abandonadas no final do governo. Existe a falta de limpeza também, além dessa parte física.

O Repórter Regional – E o que está sendo feito para solucionar esses problemas?

João Medeiros – Então após o diagnóstico o que fazer com ele…então entramos em contato com o secretário de Obras da cidade (Rogério Balzano) e ele em contato com o secretário de Manutenção (Orlindo de Jesus) dividiram as atividades e estão trabalhando em ações de reparação nas escolas.

O Repórter Regional – O senhor conversou com os diretores das escolas sobre essa situação?

João Medeiros – Já estivemos reunidos com todos os diretores, todos estão definidos, isso era nossa prioridade. O tema central do nosso trabalho aqui vai ser a questão da gestão de resultados. Entendemos que os pressupostos teóricos são essenciais no campo da Educação, mas o trabalho tem que ir além da discussão teórica, tem que ter um resultado prático.

O Repórter Regional – Quais escolas estão em pior situação secretário?

João Medeiros – As escolas em que temos mais problemas são as escolas de Ensino Fundamental. A escola Ana Mafalda, por exemplo, é uma que tem uma situação muito complicada, a escola Darcy Ribeiro, a EMI Bidu são as que tem complicações. De uma maneira geral todas as escolas tem dificuldades de infraestrutura.

O Repórter Regional – O senhor citou duas escolas que são relativamente novas, como Ana Mafalda e Darcy Ribeiro, quais problemas elas apresentaram?

João Medeiros – Há problemas de falta de manutenção de ordem geral como vazamentos, problemas na construção do prédio e falta de funcionários. Achei que deveria herdar um quadro melhor, foi uma surpresa…

O Repórter Regional – O senhor desativou a Casa do Educador, por que?

João Medeiros – Essa foi uma das primeiras medidas que tomamos de imediato aqui na secretaria. Desocupamos o prédio em frente à sede da secretaria, que foi criado com o intuito de ser a Casa do Educador, mas que já não existia mais. O que havia eram funcionários que estavam cuidando do cadastro das crianças que buscam vagas na Educação Infantil.

O Repórter Regional – E o que vai acontecer com o prédio?

João Medeiros – Bem nos acomodamos os funcionários aqui na sede da secretaria e como uma notícia de primeira mão quero dizer que faremos lá uma escola de Educação Infantil, principalmente atendendo como berçário que é uma demanda muito grande na cidade.

 IMG_3395 (Small)

O Repórter Regional – Taboão da Serra tem sido chamada nos últimos anos de “Cidade Educadora”, o senhor concorda com esse título?

João Medeiros – Depende do ponto de vista. Eu já passei pela rede municipal de Educação, nós temos em Taboão da Serra excelentes profissionais na Educação, grande projetos, essa história é muito antiga e foi construída por muitos educadores nessa cidade. Essa cidade tem uma boa produção no campo da Educação. O que é discutível é se essa “Cidade Educadora” emergiu do nada, de uma hora para outra nessa cidade, aí isso tem que ser bastante discutido…

O Repórter Regional – Os programas educacionais serão mantidos, sejam federais, estaduais ou municipais?

João Medeiros – Os programas dos governos federal e estadual serão mantidos. Alguns programas locais estão sendo estudados…estamos analisando o impacto de cada programa em relação à qualidade de ensino no município. Nós já estamos trabalhando há meses na questão das diretrizes da Educação na cidade. Nessas diretrizes vamos pegar o eixo da questão curricular. Vamos analisar onde de fato esses projetos alimentam o currículo. Encontramos aqui vários projetos desconectados, projetos que existem com o fim em si mesmo e não em um conjunto que de fato acrescente e alimente a melhoria da qualidade de ensino de Taboão da Serra.

O Repórter Regional – Mesmo o premiado projeto “Professor Visitador”?

João Medeiros – Esse projeto também está sendo estudado, estamos estudando o seu impacto. Estamos criando instrumentais para ouvir esses professores e, apartir daí, termos uma apreciação melhor sobre o desenvolvimento deste programa.

O Repórter Regional – E a ETEC secretário? Vai vir ou não vai?

João Medeiros – Nosso prefeito já firmou a parceria e a cidade vai receber a ETEC, isso já está definido. Uma outra notícia que vou te dar, em primeira mão, é com relação ao cadastro das crianças. Os pais saem de suas comunidades, pegam ônibus, vêm com seus filhos nos braços para fazer o cadastro das crianças porque o sistema informatizado da secretaria define que o cadastro tem que ser feito aqui na secretaria. Eu já conversei com o pessoal da assessoria de TI (Tecnologia da Informação) e vamos inverter, o cadastro passará a ser feito lá na escola. Os pais vão procurar qualquer escola municipal mais próxima de sua residência e faz o cadastro lá e a matrícula será feita aqui na secretaria, diminuindo os transtornos para os pais.

 

Clique para Comentar!

Deixe sua Opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo
HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com