Taboão Digital – Notícias sobre Taboão da Serra e Região Sudoeste de São Paulo

Destaque

Menino morre soterrado em Embu das Artes. Na capital, mais 10 mortes por causa da chuva

O temporal que atingiu São Paulo entre a noite de ontem (10) e a madrugada de hoje (11) deixou 11 mortos, de acordo com o chefe da Casa Militar do governo estadual, Coronel Walter Nyakas Júnior. A forte chuva provocou alagamentos e desmoronamentos na capital paulista e região metropolitana de São Paulo. Foram quatro mortes em Ribeirão Pires e uma em Embu das Artes, todas decorrentes de deslizamentos de terra. Os outros óbitos ocorreram por afogamento em São Bernardo do Campo (1), Santo André (1), São Caetano do Sul (3) e São Paulo (1).

Menino Morre Soterrado

No Jardim Pinheirinho, Embu das Artes, um menino de apenas um ano de vida morreu em decorrência de um desmoronamento no loteamento em que morava. A prefeitura de Embu, segundo a ONG Sociedade Ecológica Amigos de Embu, em matéria do site Verbo Online, foi omissa ano não cumprir ordem judicial que mandava afixar placas de aviso de que a ocupação, onde aconteceu o desmoronamento, é clandestina, nem impedir que famílias se instalassem no local.

Trecho da matéria de Rômulo Ferreira, destaca:

Em rede social, Ney só se manifestou às 11h53 sobre a tragédia na rua Caqui e disse que “a Prefeitura de Embu das Artes recebeu uma notificação judicial solicitando a fiscalização, fixação de placas no local, publicidade do processo de ação civil em razão de loteamento e ocupação clandestina de área. A Prefeitura está cumprindo todos os requisitos solicitados pela Justiça”. Às 11h54, a página da prefeitura comunicou e citou a ordem da Justiça com o mesmo teor.

O presidente da Seae, Rodolfo Almeida, denuncia, porém, descaso do governo. “Toda esta área foi ocupada em crime ambiental, foi feito aterro de nascente, de rio, corte de topo de morro de APP [preservação permanente]. É uma área muito molhada, muito sujeita a deslizamento, já foi embargada diversas vezes. Pela negligência da prefeitura de não impedir as construções e não notificar as pessoas de que é área irregular, é que esta fatalidade veio a ocorrer”, disse.

Governador sobrevoa áreas atingidas na capital

Depois de sobrevoar as áreas inundadas na capital paulista e região metropolitana de São Paulo, nesta manhã, o governador do estado, João Doria, determinou prioridade para o atendimento a desabrigados e remoção de moradores de áreas de risco.

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), a capital paulista já saiu do estado de atenção e há quatro pontos de alagamento ativos, sendo três transitáveis e um intransitável. A prefeitura suspendeu o rodízio e a cobrança de estacionamento pela Zona Azul em toda a cidade. (Com inf.  da Ag. Brasil e Verbo Online)

Clique para Comentar!

Deixe sua Opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo
HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com